Menu
Menu
Saltar para o conteúdo
A importância de um diagnóstico precoce

A importância de um diagnóstico precoce

Não é novidade que o diagnóstico precoce, seja para que patologia for, significa que o doente terá mais hipóteses de vencer a doença, tornando-a crónica, ou até mesmo, curá-la. Para as doenças oculares a lógica é a mesma, quanto mais cedo temos um diagnóstico, mais positivo será o outcome.

Por isto ser verdade, o Sistema Nacional de Saúde deu início a um rastreio nacional de saúde visual infantil para ambliopia, permitindo a sua prevenção. O diagnóstico precoce, aos dois anos, e o tratamento adequado torna possível o desaparecimento total dos sintomas. 

Outro exemplo é o glaucoma. Trata-se de um grupo de doenças que, progressiva e silenciosamente, danificam o nervo ótico. A deterioração na visão é tão gradual e, inicialmente, periférica, que as pessoas não notam até uma fase muito avançada da doença. Assim, numa fase inicial, estima-se que 50% das pessoas não estejam diagnosticas.

Se o glaucoma for diagnosticado precocemente, a perda visual pode ser atrasada ou prevenida. A academia americana de oftalmologia recomenda que o rastreio de glaucoma se realize a cada 4 anos após os 40 anos, reduzindo-se o intervalo para dois anos após os 65 anos, mesmo em doentes sem fatores de risco conhecidos.

Estes dois exemplos mostraram-nos claramente a importância do diagnostico precoce e, a única maneira de prevenir problemas oculares é marcar com regularidade uma ida ao oftalmologista.

De acordo com a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, deve fazer-se um acompanhamento oftalmológico de acordo com a idade.

Alguns especialistas recomendam revisões aos seis meses e antes dos 2 anos. Até aos vinte anos, principalmente na idade escolar, é essencial a realização de uma avaliação ocular para despistar qualquer patologia e, assim, se necessário, iniciar a terapêutica o mais rápido possível.

Aos adultos saudáveis e assintomáticos recomenda-se a realização de, pelo menos, um exame oftalmológico entre os 20 e os 40 anos, enquanto os maiores de 40 anos devem ir ao oftalmologista de dois em dois anos.

Também aos diabéticos, ou portadores de doenças que sejam um fator de risco ocular, se recomenda um maior cuidado, sendo aconselhada a realização de um exame a cada ano.

Em suma, o diagnostico precoce é a chave para a prevenção de problemas oculares, por isto, é essencial marcar consultas regulares e, sempre que necessário cumprir à risca o tratamento prescrito.

Artigo anterior Lentes de contacto de cor | identifica-se?
Artigo Seguinte Lentes de contacto vs. óculos | Qual e quando a melhor opção

Deixe um comentário

Comentários terão de ser aprovados antes de aparecerem

* Campos Obrigatórios