A contactologia define as normas e comportamentos a adotar para uma boa utilização das lentes de contacto. Isto para evitar riscos e problemas, já que, apesar de tecnologicamente evoluídas, as lentes de contacto são um corpo estranho ao olho, que pode provocar complicações na córnea, caso não sejam seguidas as recomendações médicas.

Existem atualmente dois tipos de lentes de contacto no mercado. As lentes de contacto duras, que são permeáveis aos gases, e as hidrófilas ou lentes de contacto moles, que são as mais comuns e as mais utilizadas.

De acordo com as melhores práticas da contactologia, quem utiliza lentes de contacto deve ser observado periodicamente por um médico oftalmologista, mesmo depois de se ter adaptado às lentes. O objetivo é detetar eventuais alterações oculares, entre as quais, a conjuntivite alérgica ou o edema da córnea. 

Quais as melhores práticas da contactologia para uma boa utilização das lentes?

Uma das premissas mais importantes ao nível da contactologia é a higiene. Neste aspeto, as normas são extremamente rígidas e incontornáveis. Lavar as mãos, os contentores e as lentes são regras de ouro. Lavar os dentes não pode ser com água da torneira, preferindo os líquidos de limpeza prescritos pelo médico.

Existem vários tipos de lentes de contacto, sendo as mais comuns as lentes hidrófilas. Estas lentes podem ser utilizadas diariamente, mas deve evitar-se dormir com elas, dado dificultarem a oxigenação da córnea.

Por outro lado, se o utilizador tiver a visão turva ou os olhos vermelhos, deve retirar a lente, lavá-la e coloca-la no respetivo contentor. Caso os sintomas não passem, deve ir de imediato a um oftalmologista

Que complicações podem surgir de uma utilização deficiente das lentes de contacto?

Segundo a contactologia, as complicações mais graves que podem resultar da utilização de lentes de contacto são a úlcera da córnea, a conjuntivite alérgica e a queratite. Nestes casos, o médico pode solicitar a retirada definitiva das lentes de contacto. No entanto, na grande maioria dos casos, estas patologias resultam da utilização deficiente das lentes.

Importa recordar que as lentes de contacto podem ser importantes na correção de problemas como a miopia, o astigmatismo ou a hipermetropia. No entanto, antes de receitar a utilização de lentes, o médico oftalmologista deve confirmar se existem contra-indicações, entre as quais glaucoma não controlado, lesões na córnea, secura ocular ou alterações nas pálpebras.

Só depois de confirmada a ausências destas contra-indicações é possível ao médico oftalmologista receitar lentes de contacto.

Para saber mais sobre contactologia, contacte um dos nossos assistentes.