Menu
Menu
Saltar para o conteúdo
Dicas para quem sente sensibilidade à luz

Dicas para quem sente sensibilidade à luz

A sensibilidade à luz ou fotofobia ocorre quando as células fotossensíveis da retina não suportam o excesso de luz, levando a um desconforto ocular.

A intolerância à luz pode ser consequência de várias patologias ou ser apenas resultado de natural sensibilidade à luz nas pessoas com olhos claros. Estas pessoas são mais sensíveis à luz porque têm menos pigmentação. Já as que têm olhos escuros e, por isso, mais pigmentação são menos sensíveis. Nestes casos a pigmentação funciona como um escudo protetor.  

Quando falamos em patologias oculares, estamos a referir-nos a infeções, inflamações, alergias, entre outras que fragilizam os olhos tornando-os mais sensíveis. Até patologias não relacionadas com os olhos podem resultar em sensibilidade à claridade. Estes são alguns exemplos: doenças neurológicas, meningite, alergias, a sinusite, enxaqueca, entre outras.

A par destas duas situações a cima descritas, a fotofobia pode ocorrer também nas pessoas com pupila aumentada, pois quanto maior for a pupila mais luz atingirá a retina, mas estas situações são mais pontuais.

Outra causa frequente para este tipo de sensibilidade é o astigmatismo, porque as alterações que ocorrem estão relacionadas com erros refrativos.

Em situação de fotofobia as pessoas sentem um enorme desconforto em estar de olhos abertos, por isso tendem em fechar os olhos – total ou parcialmente, assim como, evitar ambientes com muita luz.

Nestas circunstâncias, há também outros sintomas bastante usuais, como a dor de cabeça. As dores de cabeça estão relacionadas ao esforço feito para manter os olhos abertos, provocando dores na zona dos olhos e testa.

O tratamento para a sensibilidade à luz ou fotofobia deve depender da causa que o provoca. Por isso, dirija-se a um oftalmologista para identificar com clareza a origem da sua sensibilidade, para que dessa forma o médico possa prescrever o tratamento mais adequado.

Não se esqueça de mencionar, durante a sua consulta, toda a medicação que está a fazer, garantindo que os seus sintomas não estão relacionados com algum possível efeito adverso da mesma.  

Para as pessoas que são naturalmente sensíveis à luminosidade porque têm olhos claros, o uso de óculos de sol é uma medida fácil, mas muito eficaz para prevenir o problema. Nestes casos, aconselha-se o uso de óculos de sol com proteção ultravioleta (UV). Para conseguir melhores resultados pode ainda escolher óculos polarizados. Estas lentes oferecem proteção extra contra os reflexos de luz causados pela água, areia, neve, entre outras superfícies refletoras. Dê uma vista de olhos à vasta gama de óculos de sol polarizados disponíveis na loja online Indústria dos Óculos.

Outra opção para contornar este desconforto são as lentes fotossensíveis, que escurecem automaticamente ao ar livre e permitem bloquear os raios UV do sol.

Para quem sente fotofobia extrema pode optar por lentes de contato coloridas, escurecendo artificialmente os seus olhos naturalmente claros. Esta técnica vai reduzir drasticamente a quantidade de luz que entra nos olhos, aliviando os sintomas. Fique a conhecer quais as lentes de contato coloridas à venda na Indústria dos Óculos. 

Relembramos que a identificação da causa origem da fotofobia é essencial para um tratamento adequado, levando ao fim do desconforto. Para isso recorra sempre ao seu oftalmologista de confiança e vá à sua ótica preferida onde pode ser atendido por profissionais qualificados e com experiência. Na Indústria dos Óculos pode contar uma vasta gama de produtos das melhores marcas, aos melhores preços do mercado. 

Artigo anterior Sabia que pode pedir orçamento dos seus óculos sem sair de casa?
Artigo Seguinte Como colocar e retirar corretamente as lentes de contacto

Deixe um comentário

Comentários terão de ser aprovados antes de aparecerem

* Campos Obrigatórios