O estrabismo ocorre quando os olhos de um paciente não conseguem alinhar-se no mesmo ponto e ao mesmo tempo, aparentando estar desalinhados ou apontar em direções diferentes. Normalmente, o este problema ótico resulta da fraqueza dos músculos dos olhos.

O olho fraco normalmente inclina-se para o nariz, afastando-se do objeto a focar. Pode ser sempre o mesmo olho ou variar consoante a situação. Quando surge pode provocar desorientação ou casos de visão dupla, uma vez que os olhos não estão alinhados.

As crianças com este problema tendem a rejeitar inconscientemente a imagem do olho desalinhado, o que pode provocar o falhanço das ligações entre os nervos do olho e do cérebro, o que pode provocar ambliopia ou o síndrome do olho preguiçoso.

É mais fácil corrigir o estrabismo quando detetado cedo, sobretudo em bebés.

Causas do estrabismo

O estrabismo pode ser hereditário e nalguns casos provocado por hipermetropia grave não tratada. Um traumatismo craniano grave também pode provocar este problema.

Sintomas de estrabismo

O sinal mais evidente é quando os olhos aparentam apontar em diferentes direções. Existem, no entanto, mais sinais que podem indiciar este problema:

  • Os olhos não se movem em conjunto
  • Inclinar a cabeça para um dos lados
  • Incapacidade de medir a profundidade
  • Fechar apenas um dos olhos

Tratamentos para o estrabismo

Para melhorar a visão, os músculos enfraquecidos dos olhos afetados devem começar a trabalhar. Para isso, existem diversos tratamentos disponíveis:

  • Óculos ou lentes de contacto – estas ajudas técnicas podem tratar este problema quando causado por hipermetropia mal tratada.
  • Medicação injetada – o material injetado é conhecido por Botox e pode ser uma boa ajuda no tratamento.
  • Cirurgia – este é o método mais rápido e eficaz para tratar este problema.
  • Cobertura do olho «bom» – com pensos ocultores, que também são usados noutras patologias oculares.

Para saber mais sobre estrabismo, visite-nos.